Home | Glossário | Fale conosco  

  

 

Conceitos demográficos fundamentais

 

A demografia sempre foi alvo de estudos e preocupações por parte de diferentes especialistas e interessados no assunto. Em virtude de seu caráter dinâmico, à medida que a população vai sofrendo transformações quantitativas, os problemas e as contradições sócio-econômicas vão se tornando cada vez mais agudos e evidentes.

 

Na tentativa de equacionar tais problemas e contradições, os detentores do poder lançam mão de estudos e proposições que nem sempre atingem seus objetivos. De qualquer forma, os estudos e análises oferecem instrumental teórico aos dirigentes para que sejam tomadas medidas de ordem prática. Só que a natureza dessas medidas variam em função de diversos interesses (políticos, econômicos etc.).

 

Para facilitar a compreensão dos vários aspectos demográficos, vejamos alguns conceitos fundamentais a esse respeito.

 

População absoluta. É o número total de habitantes de um lugar (país, cidade etc.).

 

Densidade demográfica. É o número (a média) de habitantes por km2. Para obtê-la basta dividir a população absoluta pela área da região analisada (país, cidade etc.).

 

Densidade e superpovoamento. Uma áreas densamente povoada não é necessariamente superpovoada; isso porque o conceito de superpovoamento não diz respeito apenas ao número de habitantes por km2, mas também se refere ao nível de desenvolvimento sócio-econômico e tecnológico da população em relação à área ocupada. Nesse caso, ocorre superpovoamento quando há descompasso do ponto de vista das condições sócio-econômicas da população em relação à área ocupada. A Holanda, por exemplo, é um país densamente povoado (434 hab/km2) mas não é superpovoado (a população desfruta de alto padrão de vida em um espaço muito pequeno), ao passo que países como a Índia (247 hab/km2) e Bangladesh (740 hab/km2) são superpovoados. O superpovoamento é portanto relativo.

 

Recenseamento ou censo demográfico. É o levantamento ou a coleta periódica dos dados estatísticos (como nascimento, óbitos, população absoluta, casamento, migrações) da população de um país, cidade etc. Sua importância ;é fundamental para melhor conhecimento dos vários aspectos demográficos, bem como para fins de investimentos, planejamentos, projeções futuras e outras finalidades. No Brasil são realizados de 10 em 10 anos.

 

Taxa de natalidade. É a relação entre o número de nascimentos ocorridos em 1 ano e o número de habitantes. Uma taxa de natalidade de 30%o (por mil) significa que nasceram trinta crianças (vivas) para cada grupo de mil habitantes em um ano.

 

Taxa de mortalidade. É a relação entre o número de óbitos ocorridos em um ano e o número de habitantes (mortalidade geral). Além desse tipo de mortalidade, há também a mortalidade infantil, que é o número de crianças mortas antes de completar 1 ano de vida para cada grupo de 1.000 crianças com menos de 1 ano de idade. Essa taxa é um importante indicador do nível de desenvolvimento sócio-econômico dos diversos países do mundo.

 

Crescimento vegetativo ou natural. É a diferença entre as taxas de natalidade e de mortalidade. Não inclui os estrangeiros residentes no país.

ot14.gif (148 bytes) Menu Geo População

Frigoletto.com.br - A geografia em primeiro lugar

Copyright © 2000 - 2004 Eduardo Frigoletto de Menezes. All Rights Reserved